Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Daily Echo

a minimal boost. Breaking habits!

Dom | 09.09.18

Quebrar hábitos

Monica

Tinha aqui uns posts preparados - antes que me venham atirar pedras por não ter escrito nada - mas cada vez que aqui chego para publicar, lembro-me de mais coisas que quero falar e acabo por não falar em nada. 

 

Mas vamos por partes, o daily echo nasceu da minha necessidade de querer quebrar hábitos e formar outros.

Entre esses caminhos e, numa altura em que estava a redescobrir que caminho queria seguir na minha vida, descobri uma data de comunidades, estilos de vida, movimentos que me identifiquei e quis pôr-me à prova e perceber o que fazia sentido para mim. O projeto 333 e o armário cápsula foram alguns deles, seguiu-se voltar às minhas origens sustentáveis e minimalistas. Entre elas descobri outras coisas que queria implementar na minha vida: outros hábitos. 

O minimalismo

O minimalismo para mim é mais do que um estilo de vida. É uma maneira de viver e na maneira mais simples. Paz de espírito é uma coisa que encontrei há uns bons anos, dentro de mim, e não quero desapegar-me disso. E o minimalismo é a base disso.

minimalismo - daily echo

 

Desporto e derivados

Sempre fui miuda atlética e sempre disposta a uma corrida, caminhada ou algo de desporto. Quando tinha obrigação de o fazer foi quando percebi que quando o fazia era porque gostava e não porque me impunham um tempo para o fazer. 2400m em 14min eram uma tortura e hoje faço menos 2 min e sabe-me bem. Taichi foi outra coisa que inseri na minha vida. Basicamente, é uma forma de meditação, do qual os movimentos deram origem à arte marcial kung fu. É uma ligação com o nosso Chi, um método de meditação, uma conexão à nossa energia. 

Ter noção do meu corpo, respiração e de cada parte de mim, controlar quando regresso dos meus pensamentos ou quando vou e abstraíu-me das coisas, sempre foi um estado que quis atingir. O Taichi é das coisas que há uns bons anos eu diria "balelas" e hoje acho que me ajuda muito na minha conexão com o corpo e espaço envolvente.

Transportes

Entretanto, comecei a deixar o carro em casa e a ir de comboio. Fiz contas, pensei muito e percebi que demoro mais do dobro do tempo mas posso aproveitar esse tempo para ler ou apenas dormitar enquanto não conduzo. A vantagem de ser mais amiga do ambiente, também pesou muito. 

E quando tenho uns 10minutos para caminhar do metro ao local de trabalho, oiço uma app de meditação. Porque não há hora melhor que aquela em que estou sozinha e não preciso de pensar em nada, antes de chegar ao trabalho.

Levantar durante algumas vezes, porque trabalho ao computador e alongar durante o dia... Antes preferia despachar trabalho...mas o mundo não vai acabar. Por isso, faço as coisas com calma e com mais cabeça. Penso "porque" e "como" antes de fazer só porque está no automático. Às vezes surgem novas maneiras de fazer as coisas e mais interessantes.

 

Tratar de mim

Posso dizer que esta foi a que mais me custou. Dizer: "eu vou porque quero e preciso". Não só ter um tempo para mim, para fazer o que me apetecer (seja uma mascára facial, seja 10 min a ler ou ver um filme) mas tratar mesmo de mim. Tenho alguns problemas de saúde e decidi corrigir antes que a minha velhice seja ainda mais dolorosa (sim, eu sei, sou jovem, mas senão tratar agora, depois vou sentir muito mais).

Comecei a comer melhor, a procurar alternativas mais sustentáveis, mais saudáveis e biológicas. Decidi que vou fazer as coisas (seja o que for) mesmo que tenha preguiça. 

Reconstruir

Decidimos reconstruir a casa onde estamos, ^porque é tão importante quanto reconstruirmo-nos. Então estamos de volta de tapa-buracos, arranja paredes e ainda vamos ter mil e uma coisas de decoração pela frente. O minimalismo veio trazer-nos muitas ideias de como queremos ter a nossa casa, no final: vamos ter o essencial na decoração mas ainda com o toque pessoal; vamos optar por uma white home (nas paredes) para ganharmos a sensação de mais luz, mas com elementos de outras cores. Quando digo elementos, serão pequenos móveis que terão imensa utilizade e não só porque queremos preencher um canto.

Nada de muitas coisas que nos vão fazer perder tempo a limpar a casa: teremos alguns objetos mas nada dificil de limpar tipo bibelôs! Acima de tudo, uma casa funcional e espaçosa.

 

Ter o necessário

Somos acumuladores de promoções! E isso começou a mudar. Como queremos usar coisas mais biológicas, alternamos entre detergentes que faço em casa e os que ainda temos por aqui (para terem a noção, tinhamos 5 embalagens de detergente para a roupa, há 2 anos, e ainda estão ali 3). Então a nossa veia minimalista e sustentável alertou-nos para isso: vamos acabar as coisas que temos, antes de comprar novo. Isto ínclui, acabar primeiro com a comida que está congelada antes de comprar nova;
Ler os livros que temos em casa, antes de adquirir novos;
Usar muitooo a roupa que temos antes de comprar nova (a não ser que haja um motivo de força maior, como não ter mesmo ou estragar-se)

 

Entretanto, deu-me uma vontadce enorme de fazer outro projeto 333. Sei que tive precalços no anterior com os ténis rasgados e os dias de frio que me deitaram abaixo, mas estava a pensar fazer um desafio 10x10 (10 peças em 10 dias). Que acham? 

 

Um dos posts que tinha guardado era sobre vários movimentos que me influenciam. O de hoje, obviamente, foi sobre o minimalismo. Vou falar dos outros, nos próximos capitulos :) Estejam atentos :)

Entretanto, podem seguir o desafio10x10 no meu instagram